SIRECOM FORTALECE PARTICIPAÇÃO DOS REPRESENTANTES COMERCIAIS NA MERCOSUPER 2019

 

A semana que passou foi de grande movimentação para o setor varejista ligado ao segmento dos supermercados. Foi também uma oportunidade singular para os representantes comerciais paranaenses. Em sua 38ª edição, a Mercosuper 2019 mostrou em três dias as grandes tendências do varejo na perspectiva de grandes empresas nacionais e internacionais, gerou recorde de negócios e um networking que só eventos desse porte são capazes de prospectar. Trouxe ainda ao debate um tema que vem sendo discutido há tempos e com muita ênfase pelo SIRECOM-PR e seus associados: a tecnologia e seu mundo sem fronteiras que está mudando completamente as relações comerciais.

A adaptação do setor varejista à transformação digital esteve no centro dos painéis da Mercosuper. “O crescimento do e-commerce, o varejo 4.0, e, consequentemente, a representação comercial 4.0. Tudo está associado a esta nova realidade e ela vai transformar a nossa forma de trabalhar, o modo com que nos relacionamos comercialmente, como fazemos negócios. Essa mudança exige aprendizado e adaptação e é exatamente isso que precisamos fazer a partir de agora”, diz o presidente do CORE e do SIRECOM Paraná e vice-presidente da Fecomércio PR, Paulo Nauiack.

SIRECOM, networking e vendas

Mas enquanto essa revolução tecnológica não chega definitivamente – e isto deve acontecer nos próximos 5 anos, apostam especialistas que participaram de palestras e painéis no evento - no ambiente da Feira a forma mais tradicional de vender e fazer contatos foi um sucesso. Depois de três longos anos de crise, a expectativa de crescimento da economia trouxe novas perspectivas para o setor e a Mercosuper refletiu muito esse cenário.

Na avaliação dos diretores do SIRECOM-PR, a movimentação de negócios entre expositores, supermercadistas e representantes comerciais superou as expectativas dos próprios organizadores do evento.

João Maria Villela, vice-presidente do SIRECOM-PR e diretor do CORE-PR e do Clube Executivo de Vendas do Paraná (CEVEP), considerou esta a melhor de todas as feiras realizadas pela APRAS (Associação Paranaense de Supermercados). “Foi produtiva em todos os sentidos. Tivemos um bom público e saímos de lá com bons negócios engatilhados”, disse.

Villela falou sobre a participação forte do Cevep no evento, mais agressiva do que em anos anteriores. “Atingimos nossos objetivos. A prospecção é um processo de vendas escalável, onde cada passo, em cada degrau, tem que ser planejado. Realizamos muitos contatos de clientes que querem visitas posteriores, querem conhecer os produtos que representamos”, contou.

“A feira é mais do que negócios em tempo real, a feira se estende na prospecção”, afirmou explicando que as vendas acontecem muito mais fora do que no ambiente do evento. “A concretização de negócios posteriores, feitos a partir dos contatos mantidos durante o evento, é efetiva. Sempre é promissor”, falou. Para ele, essa perspectiva de negócios é o que move a representação comercial, mas, na sua análise, a participação de representantes neste tipo de feira ainda é tímida. “Muitos ainda não compreenderam a amplitude dessa oportunidade”.

O balanço positivo da Mercosuper serve de amostra do que será a maior feira supermercadista do país, a APAS 2019, que acontece de 6 a 9 de maio no Expo Center Norte, em São Paulo. “Estamos nos preparando para participar da APAS, a principal feira brasileira para quem atua no ramo de alimentação. As grandes indústrias estão lá, os principais lançamentos do mercado acontecem lá”, concluiu.

Já Ottílio Mônaco, que além de dirigente do SIRECOM e do CORE-PR, também é diretor do Cevep, a Feira deste ano estava 30% maior, com muitos lançamentos, mais expositores, estandes mais requintados, maior número de visitantes e bons preços.

“Para os representantes comerciais é muito válido. É networking que reverte em negócios”, disse. Para isso, o trabalho é direcionado. “Fora as rodadas de negócios, formamos um grupo de representantes que mantiveram excelentes contatos com os supermercados. É um contato de três dias que às vezes não conseguimos fazer em seis meses”.

Com atuação na área de bebidas e alimentos, Ottílio Mônaco contou que fechou boas vendas na Feira e conquistou novos clientes no interior do Paraná.  Para mostrar como o evento é produtivo, ele ainda citou o exemplo de uma indústria de cosméticos de Colombo que pela primeira vez participou da Mercosuper. “A empresa vendia os seus produtos apenas para dois supermercados médios e conseguiu atrair a atenção de uma grande rede de supermercados”, destacou. “Quem não é visto não é lembrado. Se esconda para ver se alguém vai te procurar. Você tem que procurar o cliente, tem que mostrar a tua cara”, afirmou Mônaco.

Na visão de Márcio Borges Laurentino, esta foi uma das melhores feiras dos últimos anos, com grande presença de representantes comerciais e um número muito bom de empresas participantes. “Os expositores têm fincado a bandeira, até os internacionais”, disse.

Para o secretário do SIRECOM-PR, a Mercosuper é uma oportunidade para a prospecção de negócios e para networking. “É muito positivo para a representação comercial. São muitos contatos e as indicações acontecem. A receptividade das empresas é boa e a maioria trabalha com representantes comerciais”, afirmou.

Este ano, o SIRECOM-PR e a Fecomércio PR atuaram em parceria na Mercosuper, acolhendo, apoiando, dando suporte e orientação às entidades e categorias profissionais que representam. “A nossa participação fortalece a relação com os profissionais e setores que representamos, abre muitas portas, especialmente nas rodadas de negócios”, disse Nauiack. “Para os representantes comerciais as oportunidades de uma feira desse porte são infinitas. Vão do networking à concretização de novas vendas, às informações em primeira mão sobre as tendências de mercado até o crescimento profissional”, frisou.

Nauiack destacou o otimismo que movimentou a Mercosuper 2019. “Um evento muito bom que traduziu a expectativa do mercado em relação ao momento econômico que estamos passando. Expectativa positiva por parte dos expositores e de muito otimismo por parte dos visitantes”, concluiu Nauiack.