IR: FALTOU DOCUMENTO? ENTREGA A DECLARAÇÃO HOJE E RETIFICA DEPOIS

O prazo para entregar a declaração do Imposto de Renda de 2018 se encerra às 23h59 de hoje. Não haverá prorrogação e quem atrasar está sujeito ao pagamento de multa mínima de 165,74 reais e máxima de 20% do imposto devido.

Receita Federal havia recebido mais de 26 milhões de declarações até as 10h de hoje. A expectativa é que 28,8 milhões prestem contas ao Fisco até o encerramento do prazo.

A recomendação para os contribuintes que ainda não enviaram a declaração porque falta alguma informação é entregar hoje, dentro do prazo, e retificar depois com calma. “É melhor entregar e retificar depois do que atrasar. Só não pode se esquecer de fazer a retificação depois”, afirma Andrea Nicolini, coordenadora da área tributária da Sage Brasil.

O problema de quem atrasa, segundo ela, é que a multa pode pesar bastante no bolso do contribuinte. “O cálculo é feito em cima do imposto devido pelo contribuinte, não pelo valor que ele teria a restituir ou pagar. E a cada mês de atraso há um acréscimo de 1%.”

Mas se o contribuinte não conseguir entregar a declaração até as 23h59 de hoje não adianta querer ficar em dia amanhã. O sistema da Receita será fechado e só volta a ser reaberto no dia 2 de maio.

Andréa diz que o contribuinte que cai na regra de obrigatoriedade (veja casos) precisa entregar sua declaração. “Quem não entrega fica sujeito a uma série de transtornos. O CPF é cancelado, não pode prestar concurso público nem tirar passaporte.”

 

Quem deve entregar a declaração de IRPF de 2018

Quem recebeu rendimentos isentos cuja soma foi superior a 40.000 reais deve declarar, mesmo que não tenha recebido renda tributável

Todo brasileiro que recebeu rendimento tributável acima de 28.559,70 reais em 2017 é obrigado entregar a declaração de Imposto de Renda para a Receita. O prazo para declarar se encerra às 23h59 do dia 30.

Mas não é apenas o total de rendimentos tributáveis que determina quem fica obrigado a declarar. Um contribuinte pode ter zero de rendimento tributável, mas possuir bens que o obrigam a prestar contas ao Fisco.

Veja abaixo quem é obrigado a declarar o Imposto de Renda Pessoa Física:

Quem recebeu rendimentos tributáveis acima de 28.559,70 reais

Salários recebidos de pessoa jurídica, 13º salário, horas extras e aposentadoria do INSS são rendimentos tributáveis e devem ser declarados quando a soma superar esse limite.

Quem recebeu rendimentos isentos cuja soma foi superior a 40.000 reais

FGTS, seguro-desemprego, prêmios de loterias são rendimentos isentos. Mas se a soma deles superar esse limite, é preciso declarar.

Bens e direitos que somam mais de 300.000 reais

A soma dos bens e direitos, como imóveis, carros, ações, saldo de poupança e aplicações financeiras entram nesse campo. Se a soma superar esse limite é preciso entregar a declaração.

Ganho de capital

Quem obteve, em qualquer mês de 2017, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias ou futuro.

Venda de imóvel com isenção de IR

Quem possui um único imóvel residencial e usa o lucro da venda dele no prazo de 180 dias para comprar outro tem isenção de Imposto de Renda. Apesar da isenção, é preciso apresentar a declaração. Essa regra só vale para a venda do único imóvel residencial do contribuinte. Se ele possui um quitado e outro financiado, terá de pagar imposto na venda de qualquer um deles.

Atividade rural

Quem obteve receita bruta com atividade rural acima de 142.798,50 reais. Também deve declarar quem planeja compensar no ano-calendário de 2017 prejuízos de exercícios anteriores.

 

FONTE: VEJA