INFLAÇÃO DE FEVEREIRO É A MENOR EM 18 ANOS

inflação no Brasil, medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), foi de 0,32% em fevereiro.

A taxa subiu levemente em relação aos 0,29% de janeiro, mas foi a mais baixa para fevereiro desde o ano 2000, quando ficou em 0,13%.

O acumulado nos dois primeiros meses do ano é de 0,61%, o mais baixo percentual para o período desde que o Plano Real foi implementado em 1994.

Os dados foram informados na manhã desta sexta-feira (09) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

A inflação também não surpreendeu o mercado ao se mostrar muito próxima dos 0,33% previstos pelo último Boletim Focus.

O acumulado dos últimos 12 meses está em 2,84%, o menor para o período desde 1999 (2,24%) e abaixo do piso da meta.

A lei define que o governo deve perseguir em 2018 uma inflação de 4,5% com tolerância de 1,5 ponto percentual para cima (6%) ou para baixo (3%).

Setores

O grupo Educação dominou a inflação de fevereiro: a alta foi de 3,89% com impacto de 0,19 ponto percentual no índice final.

O número reflete os reajustes que costumam ser feitos no início do ano letivo, em especial os aumentos nas mensalidades dos cursos regulares.

Já o grupo Alimentação e Bebidas, de longe o mais importante com cerca de um terço de peso no índice, caiu 0,33% e teve impacto negativo de -0,08 p.p. na taxa final.

Houve queda de preços em fevereiro de produtos importantes como alho (-4,79%), tomate (-3,29%), frutas (-1,13%) e carnes (-1,09%).

Vestuário foi o outro único grupo que caiu em fevereiro, mas a queda de 0,38% foi menos intensa que os 0,98% de queda em janeiro.

Transportes teve alta de 0,74%, menor do que a de janeiro, e impacto de 0,13 ponto percentual no índice final.

O grupo sofreu impacto de uma alta de 1,90% nos ônibus urbanos, com destaque para um reajuste de 6,28% em Goiânia.

Também houve uma alta média de 0,85% na gasolina, considerando variações entre -3,70% em Fortaleza e 8,55% em Salvador.

Outro item que entra neste grupo é o táxi, que subiu 1,73% com impacto significativo do reajuste de 7,39% no Rio de Janeiro, em vigor desde 24 de janeiro.

 

GrupoVariação janeiro, em %Variação fevereiro, em %
Índice Geral 0,29 0,32
Alimentação e Bebidas 0,74 -0,33
Habitação -0,85 0,22
Artigos de Residência 0,14 0,03
Vestuário -0,98 -0,38
Transportes 1,10 0,74
Saúde e cuidados pessoais 0,42 0,38
Despesas pessoais 0,22 0,17
Educação 0,22 3,89
Comunicação 0,11 0,05

 

GrupoImpacto janeiro, em p.p.Impacto fevereiro, em p.p.
Índice Geral 0,29 0,32
Alimentação e Bebidas 0,18 -0,08
Habitação -0,13 0,03
Artigos de Residência 0,01 0,00
Vestuário -0,06 -0,02
Transportes 0,20 0,13
Saúde e cuidados pessoais 0,05 0,05
Despesas pessoais 0,03 0,02
Educação 0,01 0,19
Comunicação 0,00

0,00

FONTE: REVISTA EXAME