Índice de endividamento das famílias paranaenses segue estável em abril

O percentual de famílias paranaenses endividadas está em 87% no mês de abril segundo dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR). Houve aumento irrelevante, tanto na comparação com março (86,2%) e abril do ano passado (85,6%).

No cenário nacional, no entanto, a pesquisa mostra que, em abril, o percentual de famílias endividadas alcançou 61,6%, o que representa uma alta em relação aos 59,6% observados em março, mas uma queda em relação aos 62,3% de abril de 2014.

 

Contas em atraso e condições de pagamento

O número de endividados com contas em atraso se manteve estável no Paraná, com 25%, enquanto o percentual de pessoas que não terão condições de pagar suas dívidas ficou em 11,7%, leve alta em relação a março (11,4%) e abril de 2014 (9,2%).

Em 12 meses, aumentou o percentual de paranaenses que reconhecem estar muito endividados, passando de 17,2% em abril de 2014 para 25,4% neste mês. Os que se classificam como moderadamente endividados representam 40,3%, os poucos endividados 21,3% e 13% não possuem dívidas desse tipo.

O número de endividados com contas em atraso se manteve estável, com 25%, enquanto o percentual de pessoas que não terão condições de pagar suas dívidas ficou em 11,7%, leve alta em relação a março (11,4%) e abril de 2014 (9,2%).

Percentuais de Endividamento

Mês

Total de Endividados %

Endividados com contas em atraso %

Não terão condições de pagar %

abr/14

85,60

25,20

9,20

mai/14

84,50

26,80

10,20

jun/14

88,70

27,60

9,90

jul/14

89,70

25,00

7,70

ago/14

88,80

23,80

8,40

set/14

88,40

23,60

8,60

out/14

87,50

23,00

10,10

nov/14

84,40

22,60

9,10

dez/14

87,40

24,30

10,80

jan/15

88,60

27,10

11,00

fev/15

86,10

25,10

11,90

mar/15

86,20

25,00

11,40

abr/15

87,00

25,00

11,70

 

Em 12 meses, aumentou o percentual de paranaenses que reconhecem estar muito endividados, passando de 17,2% em abril de 2014 para 25,4% neste mês. Os que se classificam como moderadamente endividados representam 40,3%, os poucos endividados 21,3% e 13% não possuem dívidas desse tipo.

 

abr/15

abr/14

Nível de endividamento

total

até 10sm

mais de 10sm

total

até 10sm

mais de 10 sm

Muito endividado

25,40%

23,60%

34,0%

17,20%

15,50%

24,70%

Mais ou Menos endividado

40,30%

41,40%

35,2%

49,00%

49,70%

46,0%

Pouco Endividado

21,30%

21,40%

21,0%

19,40%

19,20%

20,10%

Não tem dívidas desse tipo

13,00%

13,70%

9,90%

14,40%

15,50%

9,20%

 

Tipo de dívida

O cartão de crédito é a principal concentrador das dívidas, utilizado por 65,2% dos paranaenses para parcelamentos. O percentual dos adeptos dessa modalidade de crédito teve redução com relação ao mesmo mês do ano passado, quando o cartão representava 67,7% das dívidas.

A utilização das modalidades de crédito difere entre as classes socioeconômicas. O cartão de crédito é mais utilizado pelas classes A e B, com 67,1%, contra 64,8% entre as classes C, D e E. O cheque especial praticamente foi abolido pelas famílias com renda superior a dez salários mínimos, da mesma forma que o cheque pré-datado e o carnê. Este último ainda configura-se como uma opção usual de compras parceladas para 7,6% das famílias com rendimentos mensais de até dez salários mínimos.

O financiamento de veículo e da casa é mais evidente entre as classes mais altas, com 15,1% e 11,6%, respectivamente. Já entre as classes C, D e E, representam, 11,8% e 8,1%.

 

Tipo de dívida

total

até 10 sm

mais de 10 sm

Cartão de crédito

65,2%

64,8%

67,1%

Cheque especial

0,3%

0,4%

0,0%

Cheque pré-datado

0,3%

0,3%

0,7%

Crédito consignado

2,1%

2,2%

2,1%

Crédito pessoal

3,2%

3,1%

3,4%

Carnês

6,4%

7,6%

0,7%

Financiamento de carro

12,4%

11,8%

15,1%

Financiamento de casa

8,7%

8,1%

11,6%

Outras dívidas

1,2%

1,5%

0,0%

Tempo de atraso nas dívidas

Entre as famílias com contas atrasadas (25% do total de endividados), 55,2% dos casos já ultrapassam 90 dias e por isso são considerados inadimplentes e têm seu nome incluso nos sistemas de proteção ao crédito. O tempo médio de comprometimento com as dívidas é 7,5 meses. O percentual médio da renda comprometida dessas famílias com dívidas é de 32,1%, sendo que 20,1% dos consumidores têm mais de 50% dos rendimentos já vinculados a despesas contraídas.

 

Fonte: Fecomércio PR