DURATEX COMPRA CECRISA EM NEGÓCIO DE QUASE R$ 1 BILHÃO

Uma das principais ceramistas do país, a Cecrisa é conhecida pelos porcelanatos premium da marca Portinari. A aquisição integra a estratégia da Duratex de atuar em quatro grandes segmentos - madeira, Deca/Hydra, celulose solúvel e revestimentos cerâmicos, e faz parte da visão de longo prazo da companhia em relação ao mercado.

A compra da Cecrisa pela Duratex foi o segundo grande movimento de consolidação de revestimentos cerâmicos ocorrido em sete meses. Em outubro do ano passado, o grupo americano Mohawk Industries comprou a totalidade da Eliane Revestimentos Cerâmicos, outra das principais fabricantes do segmento cerâmico.

 


A Cecrisa, que também é dona da marca Portinari, foi comprada pela Duratex. O negócio foi anunciado na quarta-feira, dia 22, pelo presidente da Duratex, Antônio Joaquim de Oliveira. Além do valor de compra – cerca de R$ 539 milhões – a aquisição também inclui a dívida líquida da Cecrisa, que é de R$ 442 milhões.

Em um comunicado, Oliveira explicou que a negociação é a maior promovida pela Duratex, que é considerada uma das líderes no mercado brasileiro de pisos laminados e uma das maiores produtoras de painéis de madeira industrializada, louças e metais sanitários. “Estamos finalizando a aquisição da Cecrisa, empresa ícone no setor de revestimento cerâmico, dona da marca Cecrisa e Portinari. Principalmente essa última é uma marca premium, de grande reconhecimento no mercado. Esse negócio vem sendo amadurecido há muito tempo, eu diria que é um namoro de muitos anos”, explicou.

Segundo Oliveira, as tratativas começaram há oito anos e se concretizou mediante a evolução das companhias. Em um comunicado, a Cecrisa avaliou o reflexo desta transação para o setor cerâmico. “Esta operação produzirá significativos impactos para o setor de revestimentos cerâmicos brasileiro, com benefícios extensivos aos clientes, fornecedores, profissionais da empresa e comunidades nas quais está inserida. As políticas e práticas comerciais de maximização de valor e o constante investimento em inovação e desenvolvimento de produtos e serviços serão potencializados, visando estreitar ainda mais os fortes laços existentes entre a Cecrisa, seus Clientes e Fornecedores”, diz o comunicado.

Em números, o negócio atinge quase R$ 1 bilhão, no entanto, foram pagos R$ 264 milhões, com um preço adicional de R$ 275 milhões. Este valor está sujeito a avaliações futuras de termos propostos na negociação. Somado a esse montante, está a dívida líquida da Cecrisa, de R$ 442 milhões. Em 2018, a receita líquida da companhia foi de R$ 652 milhões.

Lembrando que a Cecrisa possui três unidades fabris, duas em Criciúma e uma em Santa Luzia (MG), e conta com cerca de 1,7 mil colaboradores. “A aquisição da Cecrisa coloca a Duratex em um patamar diferenciado nesse mercado de revestimentos cerâmicos. A gente tem a Ceusa, que somando com a Cecrisa, a Duratex fica realmente entre os grandes players do setor, ganha escala, ganha competitividade, amplia tremendamente o seu portfólio de produtos e soluções”, avalia o presidente da Duratex.

A compra da Cecrisa pela Duratex foi o segundo grande movimento de consolidação de revestimentos cerâmicos ocorrido em sete meses. Em outubro do ano passado, o grupo americano Mohawk Industries comprou a totalidade da Eliane Revestimentos Cerâmicos, outra das principais fabricantes do segmento cerâmico.


FONTE: ENGEPLUS/VALOR ECONOMICO